• Abstract

    Crossfit® and Crosstraining are extreme physical training programs that include high-intensity sessions, with a wide variety of functional exercises, aiming at the global development of individuals' physical capacities. Considering the wide use of both methods, their similarities, and the lack of studies that seek to compare them, the objective of the present work was to verify if there are differences between physical capacities (vertical jump, horizontal jump, fixed bar, jump in the crate, flexion, and burpee) and anthropometric among Crossfit® and Crosstraining practitioners. The data were analyzed using the statistical software SPSS version 20.0. They were expressed as mean ± standard deviation, and the Shapiro-Wilk normality test was performed. To compare the means, the Student's t-test for independent samples was used. In the analysis of the results, no significant differences were found between crossfit® and crosstraining practitioners, and it can be concluded that there is no difference in physical capacities and anthropometric measurements between the individuals evaluated.

  • References

    1. Aita E, Júnior RRG, Silva GF, Rosa AS, Oliveira RM, Almeida LP, Pereira MR, Romão WS, Filho JC, Almeida ML, Martins MEA, Júnior MAMP, Cunha RSP (2005) Comparação De Dois Métodos De Treinamento Neuromusculares, Específicos Para Flexão Na Barra Fixa. Revista De Educação Física 130:7-14.
    2. Arruda DC, Gentil P (2017) Crossfit: Riscos para possíveis benefícios? Revista brasileira de prescrição e fisiologia do exercício, São Paulo 11:138.
    3. Brasil (1996) Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União.
    4. Brasil (2002) Estado Maior do Exército. C 20-20 - Manual de treinamento físico militar. Brasília: EGGCF.
    5. Brasil (1997) Portaria Ministerial Nr. 739 - Diretriz para o treinamento físico militar e a sua avaliação. Brasília: EGGCF.
    6. Carazzato JG, Campelo L, Gomes S (1997) Avaliação de atletas: metodologia do grupo de medicina desportiva do IOT/HC - FMUSP, Revista Brasileira de Ortopedia.
    7. Cayres SU, Christofaro DGD, Oliveira BAPD, Antunes BDMM, Silveira LS, Júnior IFF (2014) Treinamento concorrente e o treinamento funcional promovem alterações benéficas na composição corporal e esteatose hepática não alcoólica de jovens obesos. Revista da Educação Física/UEM 25:285-295.
    8. Coledam DHC, Arruda GA, Santos JW, Oliveira AR (2013) Relação dos saltos vertical, horizontal e sêxtuplo com a agilidade e velocidade em crianças. Revista Brasileira Educação Física Esporte (São Paulo) 27:43-53.
    9. Crossfit (2018a) Curso de certificação crossfit nível 1: Crossfit. Disponível em: https://training.crossfit.com/level-one. Acesso em: 22 outubro de 2018.
    10. Crossfit (2018b) Passos para a afiliação: Crossfit. Disponível em: https://affiliate.crossfit.com/how-to-affiliate. Acesso em: 22 outubro de 2018.
    11. Gavazzi M, Dorst BGD (1994) A origem do Crosstraining e sua evolução. In: Encontro Científico Cultural Interinstitucional, São Paulo. Anais... São Paulo: ISSN, 1994. p.1. https://www.fag.edu.br/upload/ecci/anais/559538fed95df.pdf.
    12. Gehart DH, Bayles MP (2014) A comparison of Crossfit Training in traditional anaerobic resistance Training in Therms of Athletic Performance. International Journal of exercise science: Conference Proceding 9:26. https://knowledge.library.iup.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=2055&context=etd.
    13. Glassman G (2016) Guia de treinamento crossfit nivel 1: Jornal crossfit, 7 de nov. 2016. Disponível em: https://journal.crossfit.com/article/training-guide-compiled. Acesso em: 22 outubro de 2018.
    14. Gueiros F (2018) Teste das capacidades físicas. Colégio Carlos Drumond de Andrade. Disponível em: https://www.ccda.com.br/teste-das-capacidades-fisicas. Acesso em: 20 nov. de 2018.
    15. Guimarães VF, Almeida PHF, Maresana RF (2018) Aspectos fisiológicos, afetivos e perceptuais de protocolos adaptados para um programa de hiit com mulheres. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo 12:463-470.
    16. Jackson AS, Pollock ML (1978) Generalized equations for predicting body density of men. Br J Nutr. Carolina do Norte 40:498.
    17. Junior GC (2017) Avaliação do valgo dinâmico em mulheres durante o exercício funcional de salto. Trabalho de conclusão de curso. Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado.
    18. Lohman TG, Roche AF, Martorell R (1988) Anthropometric standardization reference manual. Champaign: Human kinetics books 177:3-8.
    19. Mazini Filho ML, Silva AC, Venturine GRO, Aidar FJ, Klain I, Rodrigues BM, Matos DG (2012) Avaliação Do Condicionamento Físico De Policiais Militares Da 146ª Companhia Especial De Policia Militar. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, 6:486-493.
    20. Podstawski R, Kasietczuk B, Boraczyński T, Boraczyński M, Choszcz D (2013) Relationship Between BMI and EnduranceStrength Abilities Assessed by the 3 Minute Burpee Test. International Journal of Sports Science 3:1.
    21. Santana SH, Vale TA (2018) Efeito do Levantamento Olímpico Sobre o Salto Contra Movimento em Esporte de Alto Nível: Um Estudo de Revisão. Ver. Bras. do Esporte Coletivo 2:1.
    22. Santos GBD, Reis T, Valerino AJ (2014) Comparação de Valências Físicas entre Praticantes Recreacionais de Crossfit Versus Treinamento Resistido, Universidade Católica de Brasília.
    23. Silva R, Mourouço P (2018) Avaliação das características antropométricas e capacidades físicas ao longo de uma época desportiva em futebol: comparação entre sub-15, sub-17 e sub-19. Motricidade, Espanha 13:39.
    24. Tanaka H (2012) Effects of Cross-Training. Sport Medicine 18:330.
    25. The Ultimate Challange (2018) Os itens dos pré-requisitos devem ser executados por pelo menos 1 atleta da equipe. Nenhuma delas será necessária que todos os integrantes consigam realizar. Pré-requisitos. Americana: The Ultimate Challange. Disponível em: https://www.theultimatechallenge.com.br/pre-requisitos. Acesso em: 22 outubro de 2018.
    26. Tibana RA, de Almeida LM, Prestes J (2015) Crossfit® riscos ou benefícios? O que sabemos até o momento. Revista Brasileira de Ciência e Movimento 23:182-185.
    27. Tibana RA, de Farias DL, Nascimento DC, Da Silva‐Grigoletto ME, Prestes J (2018) Relação da força muscular com o desempenho no levantamento olímpico em praticantes de CrossFit®. Revista Andaluza de Medicina del Deporte 11:84-88.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Multidisciplinary Science Journal

How to cite

Fernando, W., Santos, W., Barbieri, J., Lima, L. E. de M., Miguel, H., Guedes Jr, D., Silva, R. P. da, Marchioni, E., & Moriggi Jr, R. (2021). Physical capacities and anthropometric measures between crossfit® practitioners and crosstraining. Multidisciplinary Science Journal, 3(2), 2021006. https://doi.org/10.29327/multiscience.2021006
  • Article viewed - 762
  • PDF downloaded - 253