pH e condutividade do cloridrato de procaína em diferentes concentrações utilizadas em terapia neural

Authors

  • Leonardo Rocha Vianna Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte - MG, Brasil
  • Bruna Aparecida Lima Gonçalves Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte - MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.29327/multiscience.2021002

Keywords:

anestésicos locais, autocura, potencial de membrana, poração celular, repolarização

Abstract

O cloridrato de procaína é um anestésico local utilizado na terapia neural com resultados surpreendentes em diferentes tipos de pacientes e tratamentos. A terapia neural foi desenvolvida principalmente, pelos irmãos alemães Huneke e é praticada há mais de 100 anos. Em 1940, Ferdinand Huneke verificou o desaparecimento súbito de uma dor no ombro de um paciente após aplicação em uma cicatriz de osteomielite na perna. Esse tratamento é difundido na Alemanha, Áustria, Argentina, Canada, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Espanha, Estados Unidos, México, Suíça e hoje vem se difundido também no Brasil e vários outros países. Tem reconhecimento internacional como método curativo e eficaz em muitas enfermidades. Para conhecer melhor as características da principal substância e das soluções utilizadas na terapia neural, bem como a velocidade de resposta do organismo após sua aplicação, foram realizadas experimentos para estabelecer o comportamento elétrico de seus componentes. O objetivo desse trabalho é demonstrar e avaliar o pH e a condutividade de diferentes concentrações de soluções de cloridrato de procaína.

References

Adler DMT, Damborg P, Verwilghen DR (2017) The antimicrobial activity of bupivacaine, lidocaine and mepivacaine against equine pathogens: An investigation of 40 bacterial isolates. The Veterinary Journal 223:27-31.

Bulcão RP, Arbo MD, Roehrs M, Paniz C, Cervi FL, Thiesen FV, Leal MB, Garcia SC (2011) Procaína: Efeitos farmacológicos e toxicológicos. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada 32:297-303.

Burrel Serrat E (2008) Salud, enfermaria y terapia neural. Disertación.

Bravo-Monsalvo A, Vázquez-Chagoyán J, Gutiérrez L, Sumano H (2008) Clinical efficacy of neural therapy for the treatment of atopic dermatitis in dogs. Acta Veterinaria Hungarica 56:459-469.

Canali LCF (2015) A interferência do sangue e soro fisiológico na solubilidade, pH e componente iônico das obturações retrógradas de MTA branco Ângelus®. Dissertação, Universidade Estadual de Maringá.

Cassuto J, Sinclair R, Bonderovic M (2006) Anti-inflammatory properties of local anesthetics and their present and potential clinical implications. Acta Anaesthesiologica Scandinavica 50:265–282.

Castro RA (2011) Bases para la terapia neural em caninos y felinos. Buenos Aires: Dunken.

Chang DC (1989) Cell poration and cell fusion using an oscillating electric field. Biophysical Journal 56: 641-652.

Cruz Y, Fayad RN (2011) Microtúbulos y Terapia Neural: propuesta de uma investigación promisoria. Revista Med 19: 82-92.

De La Torres Roses MM, Mendoza RL (2008) La terapia neural: uma alternativa em el tratamiento de La litiasis renal. Revista Arch. Méd. Camagüey 12: 1-9.

Fischer L (2012) Terapia Neural, según Huneke. Fundamentos, técnica, aplicación práctica. México: Hippokrates Verlag Stuttgart.

Garcia JPG, Machado NG (2017) Relación entre la Odontologia neurofocal y los dolores cervicales y de hombro. Acta Médica del Centro 11: 31-38.

Gonçalves BAL, Vianna LR, Andrade CC (2020) Terapia Neural: uma opção de tratamento em pacientes oncológicos. Reviews Multidisciplinary 3: e2020014.

González-Rivas G, Beltrán de Heredia I, Obradors-Giro C, Lóriz-Peralta O (2018) Estudio de intervención no aleatorizado sobre evolución postquirúrgica en pacientes tratadas con terapia neural tras mamoplastia de aumento vía axilar. Non-randomized intervention study on postoperative evolution in patients who underwent neural therapy after transaxillary breast augmentation. Cir plást iberolatinoam 44: 443- 448.

Lebar AM, Miklavčič D (2001) Cell electropermeabilization to small molecules in vitro: control by pulse parameters. Radiology and Oncology 35:193-202.

Muri EMF, Sposito MMM, Metsavaht L (2010) Efeitos secundários potencialmente desejáveis dos anestésicos locais. Acta Fisiatr 17: 28-33.

Pavlin M, Slivnik T, Miklavčič D (2002) Effective conductivity of cell suspension. IEEE Transactions on Biomedical Engineering 49:77-80.

Pavlin M, Maša K, Reberšek M, Puchihar G, Hart FX, Magjarević R, Miklavčič D (2005) Effect of cell electroporation on the conductivity of a cell suspension. Biophysical Journal 88:4378-4390.

Reuter URM, Oettmeier R, Nazlikul H (2017) Procaine and Procaine-Base-Infusion: A Review of the Safety and Fields of Aplication after Twenty Years of Use. Sciforschen Clinical Research 4:1-7.

Ramos A, Suzuki DOH, Marques JLB (2006) Numerical study of the electrical conductivity and polarization in a suspension of spherical cells. Bioelectrochemistry 68: 213-217.

Suzuki DOH (2009) Estudo da condutividade elétrica de suspensões de eritrócitos de ratos durante aplicação de campos elétricos intensos: teoria, modelagem e experimentação. Tese submetida à Universidade Federal de Santa Catarina como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Doutora em Engenharia Elétrica. Florianópolis.

Sanchez TG, Leray I, Ronchetti M, Cadossi R, Mir LM (2019) Impacto of the number of electric pulses on cell electrochemotherapy in vitro: limits of linearity and saturation. Elsevier p. 31.

Vianna LR, Gonçalves BAL (2016) Nasce uma nova especialidade na Medicina Veterinaria Brasileira: Terapia Neural e Odontologia NeuroFocal. Revista V&Z Minas 130:16-21.

Vianna LR, Gonçalves BAL (2017) Entenda a terapia neural. Revista CFMV 74 :44-47.

Weinschenk S (2012) Neural therapy - a review of the therapeutic use of local anesthetics. Acupuncture and related therapies 1: 5-9.

Downloads

CITATION

PUBLISHED: 2021-01-21

How to Cite

Vianna, L. R., & Gonçalves, B. A. L. (2021). pH e condutividade do cloridrato de procaína em diferentes concentrações utilizadas em terapia neural. Multidisciplinary Science Journal, 3(1), e2021002. https://doi.org/10.29327/multiscience.2021002

Issue

Section

Research Article