As diatomáceas como indicadoras da qualidade da água em rios urbanos

Authors

  • Antônio Pereira Júnior Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6241-985X
  • Larissa Bezerra de Holanda Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil.
  • Ana Claudia de Sousa da Silva Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil.
  • Nayara do Socorro Nascimento Farias Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil.
  • Ana Júlia da Silva Moura Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil.
  • Letícia Picanço da Silva Departamento de Engenharia Ambiental, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Paragominas, PA, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.29327/multi.2018012

Keywords:

bioindicadores, poluição hídrica, urbanização

Abstract

As diatomáceas, atualmente podem ser excelentes indicadoras da qualidade da água nos rios urbanos, especialmente se estes desempenham a função de manancial. O objetivo desta revisão de literatura foi abordar a relação entre as diatomáceas, a qualidade da água e os rios urbanos. A análise dos dados obtidos indicou que na Europa, o uso de diatomáceas como indicador da qualidade da água em rios urbanos, já é efetiva. Quanto ao Brasil, os dados indicaram que na região Sul (Rio Grande do Sul e Paraná), as pesquisas dessa tríade estão em fase evolutiva. Na região Nordeste (Pernambuco), o uso ainda não está tão efetivo quanto no Sul e, na região Norte (Amazonas e Pará), as pesquisas para a composição da tríade quanto ao Índice da Qualidade da Água (IQA), ainda não apresentam efetividade. Uma das explicações é a falta de inserção nas legislações existentes quanto as variáveis a serem analisadas, dentre elas, o uso das diatomáceas. Logo, o IQA sem a complementação da análise das diatomáceas, pode ser incompleto, devido a indicação de outras variáveis químicas como, por exemplo os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos que não constam no IQA atual.

Downloads

Published

2018-09-15

How to Cite

Pereira Júnior, A., Holanda, L. B. de, Silva, A. C. de S. da, Farias, N. do S. N., Moura, A. J. da S., & Silva, L. P. da. (2018). As diatomáceas como indicadoras da qualidade da água em rios urbanos. Multidisciplinary Reviews, 1, e2018012. https://doi.org/10.29327/multi.2018012

Issue

Section

Review Article

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>